O Gonçalo nasceu no dia 26 de Novembro de 2009, no Hospital de São Sebastião em Santa Maria da Feira, em morte aparente.



Necessitou de manobras de reanimação durante vinte minutos e de cuidados intensivos durante 18 dias.



Só ao fim de 25 dias pudémos trazer o nosso bebé para casa!



Foram dias muito difíceis! De muito sofrimento, de muita dor... Mas em nenhum desses dias deixámos de acreditar na força do nosso príncipe, que vinte minutos após o seu nascimento, demonstrou ser capaz de contrariar aquilo que mais ninguém pode contrariar!!




E foi nesse momento que guardou a primeira pedra do seu castelo...







Pedras no caminho?

Guardo todas, um dia vou construir um castelo…


(Fernando Pessoa)

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Um miminho!

É com enorme orgulho que partilho aqui um miminho que recebemos de uma grande amiga, de 11 anos, por quem o Guga tem uma empatia "fantabulástica"!!!


Confesso que quando li este texto pela primeira vez (porque já o li várias vezes) fiquei muito emocionada e, na hora, a primeira coisa que me ocorreu (e aqui, minha querida Bibi perdoa-me por te chamar de criança quando na verdade já és uma "mulher"), foi: "Meu Deus!!! Se não perdêssemos esta capacidade de ver "o mundo" com "olhos de criança" tudo seria tão mais fácil, tão mais simples..."


E por isso fica aqui o nosso miminho e uma lição para quem ainda não conseguiu "ver"!!!





Guga, um menino feliz
 
Guga tem paralisia cerebral, o que não o impede de ser uma criança feliz e de viver a vida com a alegria que é preciso.
Ele encara os desafios como sendo pequenas etapas da sua vida.
O Guga pode ser um menino diferente, mas o que era o mundo se as pessoas não fossem
diferentes? Além disso, todas as pessoas são diferentes de muitas maneiras.
Mas também só por causa de um erro médico ele não vai desistir de ser um menino feliz, corajoso e animado, porque conta com a ajuda de uma família fantástica que não o deixa triste, e também conta com a ajuda da Marianela que trabalha arduamente com ele.
Este menino é especial de todas as maneiras. Desde a sua forma de rir à sua maneira de
interagir com os outros. Claro que, como todos nós, tem os seus momentos altos e baixos e, como todas as crianças, faz algumas asneiras. Com a sua ajudante, a mana Beatriz, eles divertem-se a puxar os cabelos da mana Magui que, com eles se diverte, pois vivem um dia de cada vez com muita alegria.
O Guga adora estar com os pais, pois é um momento de pura harmonia, e a vida sem eles não seria tão alegre, tão vivida e tão doce como agora o é, e também não teria conseguido ultrapassar muitos dos obstáculos da sua vida.
O Guga é muito feliz como é. E quem não o achar, muito enganado vai ficar.
 




segunda-feira, 23 de julho de 2012

Palavras soltas...

Hoje apeteceu-me espreitar o "Castelinho" (entenda-se o blog) e foi então que me dei conta do quanto tenho andado distante!!

Efectivamente não me tem apetecido cá vir "escrevinhar"! Não me sinto TOTALMENTE de "cabeça erguida" e optimista!! Sinto-me uma mulher de "dois sorrisos"!! Porque, ultimamente, "vive, também, em mim" um sorriso ao contrário! 

O tempo também não é nenhum! O que dificulta ainda mais a assiduidade a este meu cantinho cibernáutico!

Os últimos meses passaram à velocidade da luz, e se não tenho um biberão na mão, tenho uma fralda ou mil e uma coisas para fazer!!

A "logística" nesta casa, desde que a Beatriz nasceu, alterou significativamente, é um facto!!  E, actualmente, qualquer saída ou actividade implica uma série de procedimentos, entre eles a organização dos sacos dos mais pequeninos, preparação dos lanches, escolha da roupa a vestir, banhos para tomar/dar , etc. e ainda por cima é tudo a triplicar!!! :) E com os kilos de "esquisitice" e perfeccionismo que tenho em relação a tudo o que envolve as "minhas crias", a coisa complica! Ai se complica!!  

Mas quem me manda ser tão complicada?? 

Para além disso, cá em casa, os mais pequeninos "trabalham por turnos" na hora de dormir!! E "trabalham" muito bem, diga-se de passagem, porque quando um adormece o outro "entra ao serviço"a horas e mantem-se bem activo até ao "turno" seguinte!!! Ou seja...Já não vemos o João Pestana há uns meses e confesso que tenho muitas saudades de o ver, principalmente por um par de horas seguidas!! Aliás, neste momento, se "o vir" na rua acho que já não "o conheço"!!

O que me dá alento, sinceramente, é pensar que esta realidade é só uma fase!! Que em breve a pequena Beatriz ficará menos dependente e quem sabe não será mesmo capaz de lavar roupa, passar a ferro, etc., aos seis meses (conforme dizia o pai ainda durante a gravidez) até porque cá em casa isso daria imenso jeito!! Tal não são as montanhas de roupa que se suja e acumula... 
Também o Guga ficará mais crescido e sobretudo (esperemos), mais compreensivo e receptivo às "regras" do clã!!
Em breve, tudo será como era antes!! Ou melhor ainda... E quando essa altura chegar, aqui estarei eu a escrever textos saudosistas!! Com imensas saudades deste tempo, em que a Beatriz era pequenina...e a nossa vida estava de "cabeça para baixo"! Ora não fosse a vida assim mesmo!! Carregada de "cambalhotas, trocas e baldrocas"!!

Apesar de todo o cansaço, da falta de descanso e oportunidades para isso, estes meses foram mágicos. 
Voltar a passar pelo nascimento de um filho (neste caso de uma filha) com direito à "normalidade" é simplesmente maravilhoso!! 

Voltar a trazer um bebé para casa (como aconteceu com a Magui) sem medos, angústias, e sobretudo sem uma "tonelada" de diagnósticos horrorosos que não nos deixam viver e nos obrigam a fazer previsões, comparações e sobretudo a sofrer...quer no momento, quer por antecipação é, pura e simplesmente, FANTÁSTICO!! Assim como saber que a maioria dos "sonhos" que idealizámos para essa criança se vão realizar...como correr na praia, dançar descalço, chamar por mim...

Mas também me faz sofrer...e muito!!

Tenho que admitir que essa FELICIDADE (que é imensa) não é plena!! Porque se antes eu fazia comparações, agora também as faço! E neste momento tenho um bebé, a crescer, dentro de casa...o que me faz ter o "alvo" de comparação mesmo à frente dos meus olhos, todos os dias e a toda a hora... o que, por si só, me leva a pensar e a questionar constantemente: Porque é que não pôde ser assim tão bom com o nosso Guguinha???  Porque não pode o meu Guga ter o mesmo direito que as outras crianças?? Já que tudo o resto eu faça questão de lhe proporcionar,  fazendo disso o objectivo prioritário da minha vida!!!

E todas essas comparações e questões me fazem temer o quanto a FELICIDADE de ver a Beatriz desenvolver e crescer naturalmente me poderá, por outro lado, fazer DOER na alma...

Porque cada vez que ela avançar uma etapa eu vou pensar: "Meu Deus, como é tão fácil! E ao mesmo tempo, "como é tão difícil"!!

Ver a Beatriz crescer normalmente vai ser um SONHO!! E não poder ver o mesmo crescimento no Guga vai ser um PESADELO!!

Além do que não sei como irá o Guguinha reagir a isso... Não sei se ele será capaz de perceber a condição dele?? Capaz de aceitar que com ele é diferente?? E sobretudo, viver com essa frustração...

Mas lá está, tal como eu referi há pouco, a vida é mesmo assim, feita de "trocas e baldrocas", é uma "tosta mista" de sentimentos... Que se regem de acordo com as circunstâncias que "bailam" na nossa realidade!!

Seja como seja, de uma coisa eu tenho a certeza: com garra ou sem garra, feliz ou infeliz, cansada ou cheia de vitalidade... eu cá estarei, pronta para o que for preciso!!!

Para tudo o que os meus filhotes necessitarem...

Pronta para continuar a ser MÃE!!!!