O Gonçalo nasceu no dia 26 de Novembro de 2009, no Hospital de São Sebastião em Santa Maria da Feira, em morte aparente.



Necessitou de manobras de reanimação durante vinte minutos e de cuidados intensivos durante 18 dias.



Só ao fim de 25 dias pudémos trazer o nosso bebé para casa!



Foram dias muito difíceis! De muito sofrimento, de muita dor... Mas em nenhum desses dias deixámos de acreditar na força do nosso príncipe, que vinte minutos após o seu nascimento, demonstrou ser capaz de contrariar aquilo que mais ninguém pode contrariar!!




E foi nesse momento que guardou a primeira pedra do seu castelo...







Pedras no caminho?

Guardo todas, um dia vou construir um castelo…


(Fernando Pessoa)

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

No ano novo...

"No ano novo, bem mais do que nos outros, quero alimentar o meu coração com mais daquilo que eu sei que ele gosta e é capaz de nutri-lo. Quero escolher com todo amor os ingredientes de cada refeição. Cozinhar mais vezes para ele. Usar os temperos que mais aprecia. Dedicar um tempo maior para preparar a mesa. E, depois de servi-lo, desfrutar a delícia de vê-lo saborear o que preparei. Curtir o conforto de me saber responsável pelo seu contentamento. Aquele gostinho bom do “fui eu que fiz pra você”.

No ano novo, bem mais do que nos outros, quero ter mais gentileza com os meus sentimentos. Com todos eles, sem exceção. Quero ter mais habilidade para ouvir o que têm pra me contar, sem tentar abafar a voz daqueles que podem me trazer desconforto. Quero deixar que se expressem, exatamente com a cara que têm. Que me façam surpresas. Que me apontem as mudanças que já aconteceram e me falem sobre aquelas que pedem para acontecer. Quero que me mostrem as regiões ainda feridas em mim que precisam de olhar, de cura ou de perdão. Não quero sentimento acuado, amordaçado, varrido pra debaixo do tapete. Quero ser a melhor confidente de cada um. 

No ano novo, bem mais do que nos outros, quero ter mais cuidado com os sentimentos alheios. Mais compaixão. Mais empatia. Mais tolerância. Suspender o julgamento. Trocar a crítica pelo respeito. Parar de achar que eu faria diferente, que eu diria diferente, quando não é a minha vida que está na berlinda. Quero lembrar mais vezes o quanto nos exige cada superação, cada avanço, cada conquista, cada descoberta das chaves capazes de abrir os cárceres que inventamos para nós. Quero lembrar mais vezes do quanto eu falho, mesmo quando quero acertar. Do quanto eu ainda me atrapalho comigo. Do quanto preciso ser generosa com a minha trajetória a cada novo projeto anunciado pela minha alma. A cada nova tentativa. A cada novo tropeço.

No ano novo, quero me encantar mais vezes. Admirar mais vezes. Compartilhar mais amor. Dançar com a vida com mais leveza, sem medo de pisarmos nos pés uma da outra. Quero fazer o meu coração arrepiar mais freqüentemente de ternura diante de cada beleza revista ou inaugurada. Quero sair por aí de mãos dadas com a criança que me habita, sem tanta pressa. Brincar com ela mais amiúde. Fazer arte. Aprender com Deus a desenhar coisas bonitas no mundo. Colorir a minha vida com os tons mais contentes da minha caixa de lápis de cor. Devolver um brilho maior aos olhos, aos dias, aos sonhos, mesmo àqueles muito antigos, que, apesar do tempo, souberam conservar o seu viço. Quero sintonizar a minha freqüência com a música da delicadeza. Do entusiasmo. Da fé. Da generosidade. Das trocas afetivas. Das alegrias que começam a florir dentro da gente.

No ano novo, bem mais do que nos outros, quero ter atenção com relação ao que sinto, ao que vejo, ao que propago. Mais cuidado para não me intoxicar com os apelos do medo e do pessimismo, tão divulgados nesses nossos tempos. Usufruir mais a sábia isenção que nos permite continuar a ver o melhor para a nossa vida e para a vida de todos os seres, apesar de. Não me importa se eu olhar na contramão: quero ter a coragem de sustentar a minha crença de que o amor, a paz, a luz, hão de prevalecer na Terra, e, enquanto isso não acontecer, quero dirigir também a minha energia ao propósito de que prevaleçam em mim.

No ano novo, bem mais do que nos outros, eu quero me sentir feliz. Uma felicidade que não está condicionada à realização das coisas que, particularmente, anseio para mim. Para a minha história nesse mundo. Para essa personagem que eu visto. Quero, antes de qualquer outra razão, me sentir feliz por encontrar descanso e contentamento no meu coração. Por tocar com o sentimento a preciosidade da vida. Por saber que existem coisas para eu realizar enquanto estou por aqui. Por acreditar que a maior proposta da idéia humana é a felicidade. Não importa quantas nuvens eu possa ter que dissipar no ano que começa: gente, por natureza, é sol, e eu quero viver esse lume."

(Ana Jácomo)



Feliz Ano Novo para todos!!!





E que este novo ano nos traga mais sol, mais alegrias, grandes conquistas e sobretudo uma estadia em Espanha!!

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Que porcaria!!! ;)







A isto é que se chama "meter a mão na massa"!!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Faz hoje um ano que o Guga veio para casa!!

Faz hoje um ano que, FINALMENTE, pudémos trazer o nosso Guga para casa!!

Faz hoje um ano que deixámos de pedir autorização para pegar no nosso filho ao colo, mudar-lhe a fralda, dar-lhe de comer, esperar pela vez de lhe darmos banho, de sofrer sempre que alguém se lembrava que faltava alguma coisa e vinha para o acordar!! Mesmo que tivesse acabdo de adormecer após uma noite sem dormir!!Ora para o picar mais uma vez, ora para lhe mudar o cateter, ora para o despir e avaliar (isto é, medir a febre) porque pouco mais se fazia!
Faz hoje um ano que deixámos de questionar, a cada segundo, quando chegaria o dia de levar o nosso bebé para casa!!
Faz hoje um ano que voltei a dormir numa cama, ao invés de passar as noites num cadeirão!!
Faz hoje um ano que "bati com a porta do Inferno" (entenda-se Hospital S. Sebastião) e prometi a mim mesma nunca mais lá voltar!!!
Faz hoje um ano que mandei muitas pessoas para "aquele lado" e me senti MUITO BEM COM ISSO!!!
Faz hoje um ano que fiz aquele maldito corredor, pela última vez!!
Faz hoje um ano que senti um orgulho enorme neste nosso guerreiro que fez, e faz, ver a muita gente!!
Faz hoje um ano que pude, finalmente, ver um sorriso estampado na cara da Margarida!! E de outros tantos familiares!
Faz hoje um ano que passámos a ter mais uma IMPORTANTE DATA para comemorar!
Faz hoje um ano que apesar das enormes angústias, extensas dúvidas, grandes receios...reaprendemos o que era a felicidade!

FAZ HOJE UM ANO QUE VIVEMOS O PRIMEIRO DIA DO RESTO DE UMA GRANDE VIDA!!!

(Esta foto foi tirada no primeiro dia do Guga em casa)

domingo, 19 de dezembro de 2010

Parabéns Margarida!!

Parabéns maninha pelos teus 7 aninhos!!

E obrigada por me fazeres sentir o melhor irmão do mundo!!!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

"O tempo, de vento em vento, desmanchou o penteado arrumadinho de várias certezas que eu tinha, e algumas vezes descabelou completamente a minha alma. Mesmo que isso tenha me assustado muito aqui e ali, no somatório de tudo, foi graça, alívio e abertura. A gente não precisa de certezas estáticas. A gente precisa é aprender a manha de saber se reinventar. De se tornar manhã novíssima depois de cada longa noite escura. De duvidar até acreditar com o coração isento das crenças alheias. A gente precisa é saber criar espaço, não importa o tamanho dos apertos. A gente precisa é de um olhar fresco, que não envelhece, apesar de tudo o que já viu. É de um amor que não enruga, apesar das memórias todas na pele da alma. A gente precisa é deixar de ser sobrevivente para, finalmente, viver. A gente precisa mesmo é aprender a ser feliz a partir do único lugar onde a felicidade pode começar, florir, esparramar seus ramos, compartilhar seus frutos." (Ana Jácomo)

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

O momento novo

"Igualzinho ao que acontece com todas as pessoas, num trecho ou outro da estrada, eu já senti tanta dor que parecia que os golpes haviam me quebrado toda por dentro. Não sabia se era possível juntar os pedaços, por onde começar, nem se o cansaço me permitiria movimentos na direção de qualquer tentativa. Quando o susto é grande e dói assim, a gente precisa de algum tempo para recuperar o fôlego. Para voltar a caminhar sem contrair tanto os ombros e a vida. Um espaço para a gente quase se reinventar.

O tempo passa. O fôlego retorna. Parece milagre, ma
s as sementes de cura começam a florescer nos mesmos jardins onde parecia que nenhuma outra flor brotaria. A alma é sábia: enquanto achamos que só existe dor, ela trabalha, em silêncio, para tecer o momento novo. E ele chega."  (Ana Jácomo)

Só não sei quando...

sábado, 27 de novembro de 2010

Flashes de um dia muito especial...

Ainda a dormir...

O primeiro leitinho da manhã...(ainda com muito soninho)

Começando a despertar...

Bom dia mamã!!! Agora sim, já estou acordado!!


Olha para mim...pareço um senhor!!! Agora que já tenho um aninho!!!

A abrir presentes!!!


A brincar com as novidades...


O meu bolo, onde não poderia faltar um enorme número 1 construído com pedrinhas!!! E claro, como não podia deixar de ser, uma Margarida sempre ao meu lado e o meu Castelo!!


O medo dos parabéns!! Das palmas!! Do escuro!!




HUMMM!!! Para além de lindíssimo, o bolo estava delicioso!!

O nosso menino!
O nosso tesouro!!



sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Parabéns!

Uma mãe feliz, apesar de sofrida!
Um filhote sorridente, a tentar manter-se sentado (com apoio) e esperando mais uma sessão de Fisioterapia!
Uma "mala" cheia de "coisas" necessárias para o trabalho diário na sua reabilitação...

Mas, no ar... o "verde" de muita esperança no próximo futuro!

Parabéns, Guga, pela tua heroicidade na luta que estás a viver e vais certamente vencer!
Parabéns, filhota, pela tua coragem e determinação!

E, na celebração deste 1.º ano de conquistas, não podia deixar de dizer também:
- Obrigado a todos os amigos que nos têm acompanhado!
- Obrigado aos técnicos (terapeutas e médicos) que nos têm ajudado!
- Obrigado à Família que, durante o ano que agora termina, "compreendeu" e sentiu a nossa "menor presença" e a necessidade de dedicarmos mais tempo a coisas que valem a pena!

Faz hoje um ano...

FAZ HOJE UM ANO...

...que saí de casa e disse a Magui: "Filhota!! São só três dias!! E depois a mamã e o Guga já vêem para casa." Mal eu sabia que afinal seriam  25 dias!!
...que estava carregada de ansiedade e com um receio inexplicável, mas feliz porque em breve teria o meu bebé no colo!!
...que fui negligenciada em vários aspectos e que devido a más decisões e falta de profissionalismo, vi o meu filho nascer sem vida...esperei vários dias para poder pegar nele ao colo,  ouvir o seu primeiro choro, alimentá-lo...

FAZ HOJE UM ANO QUE A NOSSA VIDA FICOU DE CABEÇA PARA BAIXO!!!

Mas o mundo ao contrário trouxe-nos algumas vantagens:

Trouxe-nos um MENINO ESPECIAL, um menino querido ( que apesar das birras), nos contagia com o seu sorriso, com a sua força de vontade,  sede de viver, explorar e interagir com tudo e com todos os que o rodeiam!! Trouxe-nos um verdadeiro herói! Um menino que nos ensinoua ver a vida de outra forma!!!
Com mais simplicidade!!
Dando valor a coisas que outrora passavam despercebidas!!
Menosprezando materialismos que anteriormente se disfarçavam de necessidades básicas!!!
Ensinou-nos a ver a vida com olhos de AMOR,  GRATIDÃO, CORAGEM, ESPERANÇA...

Trouxe-nos a oportunidade de perceber quem de facto nos quer bem!!
Quem são os verdadeiros amigos!
Trouxe-nos a oportunidade de conhecer outros meninos e meninas especiais e consequentemente as suas famílias por quem tenho grande apreço e amizade!!

FAZ HOJE UM ANO QUE A VIDA ME PREGOU UMA GRANDE PARTIDA!!!
MAS... ME DEU UM GRANDE TESOURO!!!

AMO-TE FILHO!!!

PARABÉNS PELO TEU PRIMEIRO ANIVERSÁRIO!!
PARABÉNS POR TUDO...

Beijoca grande da mamã, do papá e da maninha!!!

Não podia deixar de partilhar!!!!

Um beijinho enorme para ti Paula!!!


"Olá Ana,

As primeiras palavras são, sem dúvida, para o Guga. Este ser maravilhoso que há um ano atrás tudo e todos desafiou para estar connosco!
Daqui uns anos, quando o Guga estiver a ver o blog que a mama com tanto carinho criou, vai confirmar:
-         o AMOR que tantas pessoas lhe tem;
-         as batalhas conquistadas;
-         as pedrinhas conseguidas para o seu castelo;
-         e as imensas alegrias que deu à sua família.
Vai ver e saber também que foi:
-         o herói para a sua família;
-         a fonte de inspiração para tantas pessoas;
-         a fonte inesgotável de amor para os seus pais e irmã;
-         a razão da mãe NUNCA desistir pelo melhor para o seu menino;
-         a razão pela qual centenas de pessoas diariamente visitam o blog para saber novidades;
-         a razão de viver dos seus pais.
E vai ter a certeza de que tudo valeu a pena. Parabéns Guga por este aninho de vida!

Por fim, mas imensamente importante:

-         Obrigada Ana por nunca desistires;
-         Obrigada Ana pela coragem com que encaraste esta realidade;
-         Obrigada Ana por conseguires viver uma vida com a qual nunca sonhaste;
-         Obrigada Ana por seres a mãe do Guga e da Magui;
-         Obrigada Ana por seres um fonte de inspiração para todas as mulheres;
-         Obrigada Ana por seres um fonte de inspiração e modelo a seguir para todas as mães;
-         Obrigada Ana por partilhares connosco as tuas angústias, medos, frustrações, desilusões;
-         Obrigada Ana por partilhares connosco as tuas alegrias, vitórias, conquistas, felicidades;
-         Obrigada Ana por partilhares connosco o teu AMOR incondicional pelo teu filho;
-         Obrigada Ana por seres como és, uma GRANDE MULHER.

Parabéns à vossa família que é linda e é um exemplo a seguir por tantas mas tantas pessoas!

Que Deus esteja sempre ao vosso lado!!

Um beijinho do tamanho do mundo para vocês."



Paula Coutinho

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

DR. DEVESAS em PORTUGAL!!!!

E porque o meu pai é um super pai!!!

Conseguiu que o Dr. Devesas aceitasse o convite de vir a Portugal no dia 21 de Janeiro fazer uma conferência acerca do Projecto Foltra!!!

Para isso também estamos a contar com a colaboração da fantástica terapeuta Ana Moreira!!!

Vamos lá começar a divulgar este Projecto que "tem pernas para andar"!!!

Divulgar, Divulgar e Divulgar!!! Principalmente junto da comunidade médica, de maneira a que muitas outras pessoas possam usufruir e voltar a ter uma vida normal!!!!

No entanto continua a ser necessário ajudar!!!
E para isso peço a colaboração de todos, nem que seja com um euro!!! Façam o vosso donativo em nome da Fundação FOLTRA!


La Caixa: 2100-4775-24-0200088827
Código Internacional IBAN: ES92-2100-4775-24-0200088827

in  http://www.proyectofoltra.org 

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Mais evidências!!!


El doctor Devesa imparte una conferencia sobre las acciones terapéuticas de la Hormona de Crecimiento

Fuente: Universia
El Doctor Jesús Devesa, Catedrático de Fisiología de la Universidad de Santiago de Compostela, ofreció una conferencia organizada por la Facultad de Fisioterapia en el Aula Magna de la Universidad Francisco de Vitoria con el título “Acciones terapéuticas de la hormona de crecimiento”, en la que el científico expuso sus avances sobre las aplicaciones de la Hormona de Crecimiento (GH) en los tratamientos de tejidos óseos, vasculares, dérmicos, musculares y especialmente el nervioso.
En la conferencia, el doctor Devesa explicó que el tratamiento con hormona de crecimiento es capaz de reparar los daños cognitivos, motores y las alteraciones de conducta que sufren los pacientes de talla baja, con un déficit de esta hormona. Así lo ha demostrado el equipo liderado por Jesús Devesa Múgica, catedrático de Fisiología Humana de la Facultad de Medicina de Santiago y jefe del laboratorio especial de Bioquímica del Complejo Hospitalario Universitario de Santiago
De hecho, los beneficios de la hormona de crecimiento se publicarán en breve en dos revistas especializadas.
La primera investigación, que se publicará en ‘Journal of Therapeutics and Clinical Risk Management’, ha probado el tratamiento con hormona de crecimiento durante dos meses en niños de unos cinco años que sufrían parálisis cerebral. Según explicaba el doctor durante la conferencia, “en poco tiempo de tratamiento se consiguió la recuperación de las funciones motoras y cognitivas de los pacientes”, aunque destacaba que “los más pequeños mejoraban más”.
El otro estudio, que se publicará en ‘Brain Injury’, se ha realizado sobre adultos con déficit de hormona de crecimiento que presentaban alteraciones cognitivas y de comportamiento por esta causa. El experto dice que los adultos experimentaron mejoras importantes con este tratamiento, concretamente mejoraron su capacidad cognitiva y motora, además de su conducta, después de este tratamiento, que fue administrado durante dos meses por vía subcutánea. Además, no se registraron efectos adversos, ya que se administraron dosis muy bajas de esta hormona, por lo que los pacientes recuperados están preparados para reintegrarse en la sociedad, explicaba.
Es la primera vez, a nivel mundial, que se prueba la hormona de crecimiento en adultos. Los buenos resultados de esta prueba suponen un importante paso adelante para mejorar la calidad de vida de estos pacientes, que apenas cuentan con alternativas para mejorar su situación”, señalaba.
Uno de los asistentes a la conferencia fue paciente suyo. Eduardo padecía una neuropatía isquémica, “que se traduce en un dolor insoportable, continuo las 24 horas del día. Y estaba en esta situación desde hace tres años”, nos explicaba. Es una enfermedad muy grave, por ser crónica y no tener, “según la medicina oficial”, ningún tratamiento que la cure. “He recorrido varias Unidades del Dolor, que solo me ofrecían cuidados paliativos con morfina. Y en consecuencia la esperanza de vida es muy corta”, añadía. “Me tratan en el centro Crene, donde siguen las pautas del Dr. Devesa. En estos momentos estoy curado”.
El Dr. Jesús Devesa Múgica es licenciado en Medicina (Universidad de Santiago, 1970), doctor en Medicina (Universidad de Santiago, 1973), catedrático de Fisiología Humana en la Facultad de Medicina de Santiago, médico especialista en Endocrinología y jefe del laboratorio de Bioquímica Especial del Complejo Hospitalario Universitario de Santiago (CHUS).
Sus investigaciones más relevantes son: “Regulación de la secreción de la hormona de crecimiento”, “Hormona de crecimiento y supervivencia celular”; “Nuevas aplicaciones terapéuticas de la Hormona de crecimiento” y “Control del crecimiento y muerte en las células leucémicas. Miostatina, un nuevo péptido regulador negativo del crecimiento muscular”. Ha sido director de 12 tesis de doctorado, autor de 123 publicaciones en revistas científicas nacionales e internacionales y 430 comunicaciones y ponencias en congresos nacionales e internacionales

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Faz hoje um ano...

Faz hoje um ano que completei as 40 semanas!
Faz hoje um ano que o meu Gonçalinho devia ter nascido!
Faz hoje um ano que, mediante o peso e tamanho do Gonçalo, me deviam ter feito uma cesariana, ao invés de me perguntarem: "O que é que lhe faço??" e me mandarem para casa à espera que o parto acontecesse!! E com uma data para a indução caso não se processasse naturalmente!!
Faz hoje um ano que fui MUITO BURRA em ter aceitado tal situação e sobretudo INCONSCIENTE!!!
Faria hoje um ano...que tudo estaria como sempre sonhei!!!

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Saudades do mundo que eu vejo


Há saudades que caminham comigo aconchegadas num lugar gostoso que a memória tem. Sei que estão lá, mesmo quando demoro um bocado de tempo para apreciar as histórias que me contam. São porta-jóias que guardam encantos que não morrem. Caixinhas de música, que, ao serem abertas, derramam melodias que me fazem dançar com elas de novo. São saudades capazes de amenizar o frio de alguns instantes com os seus braços de sol.

Mas existem também saudades que pousam no meu coração de vez em quando e ficam de lá me olhando com aquele olho comprido do quer escuta. Não falam de lugares, pessoas ou épocas da minha vida. São espelhos que não refletem feições conhecidas. São saudades que entornam perfumes que somente a alma reconhece. Que sobrevoam regiões por onde apenas as emoções caminham. Que destampam ausências que a gente algumas vezes prefere ignorar.

São saudades de um mundo que tem cheiro de quintal lá da infância da gente. Que é macio para todos os seres que nem lençol recém-trocado. Que tem o timbre de voz amada quando toca o nosso ouvido. Um mundo bacana onde as pessoas têm clima de passeio. Onde não existem armas, visíveis ou não. Onde a gente vive com o sentimento de estar brincando de roda uns com os outros: se um leva um tombo reflete na roda inteira.

São saudades de um mundo contente feito céu estrelado. Feito flor abraçada por borboleta. Feito café da tarde com bolinho de chuva. Onde a gente se sente tranqüilo como se descansasse num cafuné. Onde, em vez de nos orgulharmos por carregar tanto peso, a gente se orgulha por ser capaz de viver com mais leveza. Um mundo onde as pessoas confiam umas nas outras, não pode ser de outro jeito se estamos em família na humanidade. Um mundo onde a culpa deixou de ser uma desculpa para não sermos felizes. São saudades de um mundo onde o respeito não tem cheiro de mofo: todos somos iguais e todos somos diferentes e isso é claro, natural e indiscutível.

São saudades de um mundo que lembra a pureza de amarelinha desenhada com giz no terreno da escola. Que lembra a alegria de chegar no céu quando a gente pulava amarelinha. Que lembra a melodia gostosa da risada do amigo. Saudades de um mundo sem hipocrisia. Sem diz-que-me-diz-que. Sem jogo. Ninguém quer ferir ninguém, por nenhum motivo. As boas intenções são mesmo boas. Há em cada pessoa um cuidado, um bem-querer, um zelo amoroso, com relação a todas as outras, porque essa é a natureza do coração humano. Um mundo onde todas as formas de vida são abençoadas por todas as formas de vida.

São saudades de um mundo onde a gente pode falar de coisas inocentes sem temer parecer ridículo. Onde podemos ser sensíveis e expressar a nossa sensibilidade sem sermos olhados como vítimas de uma doença grave. Onde a busca pelo conforto da alma é tão necessária quanto a busca pelo conforto do corpo. Onde podemos caminhar pelas ruas, descontraídos, sem temer ser atacados por outro ser humano. Um mundo no qual, em vez de propagar o medo, as pessoas utilizam a sua energia para propagar o amor. Saudades de um mundo que às vezes eu sinto tão intensamente que já parece de verdade. Já parece existir, de alguma forma. Um mundo no qual habito toda vez que eu o vejo.

Ana Jácomo

domingo, 7 de novembro de 2010

Finalmente...pareçe que fizémos as pazes com a cadeirinha de alimentação e com o carrinho de passeio!!



O "Gugolas" esta semana, tem-nos surpreendido pela positiva!!! Viva Viva Viva!!!
Tem estado muito calmo e receptivo à cadeira e ao carrinho de passeio.
A mamã já conseguiu fazer algumas refeições sem " o apêndice" ao colo!! E inclusivamente arrumar algumas coisitas cá por casa...sem protesto!!!

NUTELLAAAAAAAA!!!!!

Já passou um mês, e nada...




E porque continuamos à espera...com MUITA ANSIEDADE...
Esta semana, decidi enviar um mail para o Projecto Foltra, na tentativa de obter uma previsão, uma data (mais exacta) de quando poderemos  iniciar o tratamento!!!
Conclusão:  Pediram-me o nome completo do Guguinha. Mas como era sexta-feira, não tive mais novidades...sendo assim, vou ter que esperar até à próxima semana, para saber qual a resposta!!!

Espero que seja algo do género: "mañana a las 8 am"!!!


quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Parece um milagre!!!

Acabo de saber que mais três crianças, portadoras de paralisia cerebral, vão, FINALMENTE, poder ter uma vida "normal"!!
Estas crianças após o tratamento realizado na clinica FOLTRA, conseguiram vencer a patologia e hoje são crianças "NORMAIS"!!!!

Viva Viva Viva ao Projecto Foltra!!!!!

Veja em  http://allforall.org/proyectofoltra.net

Parece milagre!!!

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Miminho especial...

E porque os tempos não têm sido fáceis, nada como receber um miminho de uma amiga muito, muito, muito, muito...ESPECIAL!!!
Obrigada Paulinha!!
Beijo Grande

Na própria pele...

" Depois de tantas buscas, encontros, desencontros, acho que a minha mais sincera intenção é me sentir confortável, o máximo que eu puder, estando na minha própria pele. É me sentir confortável, mesmo convivendo com tantas perguntas que o tempo não respondeu e com a ausência de qualquer garantia de que ele ainda responda. É me sentir confortável, mesmo entendendo que as respostas que tenho mudarão, como tantas já mudaram, e que também mudarei, como eu tanto já mudei.


Depois de tantas buscas, encontros, desencontros, acho que a minha mais sincera intenção é me sentir confortável, o máximo que eu puder, estando na minha própria pele. É me sentir confortável, mesmo sentindo que cada vez mais eu sei cada vez menos, e não saber, ao contrário do que já acreditei, pode nos fazer vislumbrar uma liberdade incrível, às vezes. Tem saber que é nítida sabedoria, que fortalece, que faz clarear, mas tem saber que é apenas controle disfarçado, artifício do medo, armadilha da dona autosabotagem.


Depois de tantas buscas, encontros, desencontros, acho que a minha mais sincera intenção é me sentir confortável, o máximo que eu puder, estando na minha própria pele. É me sentir confortável, mesmo percebendo que a minha vida não tem lá tanta semelhança com o enredo que eu imaginei para ela na maior parte da jornada e que nem por isso é menos preciosa. É me sentir confortável, cabendo sem esforço e com a fluidez que eu souber, na única história que me é disponível, que é feita de capítulos inéditos, e que não está concluída: esta que me foi ofertada e que, da forma que sei e não sei, eu vivo.


Depois de tantas buscas, encontros, desencontros, acho que a minha mais sincera intenção é me sentir confortável, o máximo que eu puder, estando na minha própria pele. É me sentir confortável, mesmo acessando, vez ou outra, lugares da memória que eu adoraria inacessíveis, tristezas que não cicatrizaram, padrões que eu ainda não soube transformar, embora continue me empenhando para conseguir. É me sentir confortável, mesmo sentindo uma saudade imensa de uma pátria, aparentemente utópica, onde os seus cidadãos tenham ternura, respeito e bondade, suficientes, para ajudar uns aos outros na tecelagem da paz e no desenho do caminho.


Depois de tantas buscas, encontros, desencontros, acho que a minha mais sincera intenção é me sentir confortável, o máximo que eu puder, estando na minha própria pele. Estarmos na nossa própria pele não é fácil e essa percepção é capaz de nos humanizar o bastante para nos aproximarmos com o coração do entendimento do quanto também não seria fácil estarmos na pele de nenhum outro. Por maiores que sejam as diferenças, as singularidades de enredo, as particularidades de cenário, não nos enganemos: toda gente é bem parecida com toda gente. Toda gente é promessa de florescimento, anseia por amor, costuma ter um medo absurdo e se atrapalhar à beça nessa vida sem ensaio.


Depois de tantas buscas, encontros, desencontros, acho que a minha mais sincera intenção é me sentir confortável, o máximo que eu puder, estando na minha própria pele. É me sentir confortável o suficiente para cada vez mais encarar os desconfortos todos fugindo cada vez menos, sabendo que algumas coisas simplesmente são como são, e que eu não tenho nenhuma espécie de controle com relação ao que acontecerá comigo no tempo do parágrafo seguinte, da frase seguinte, da palavra seguinte. É me sentir confortável o suficiente para caminhar pela vida com um olhar que não envelhece, por mais que eu envelheça, e um coração corajoso, carregado de brotos de amor."

(Texto de Ana Jácomo)

terça-feira, 26 de outubro de 2010

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Mais um caso de Paralisia Cerebral vencido!!


No es la única afortunadamente, son ya varias, pero este caso es el que tuvo más repercusión mediática. Querían desconectarlo porque su EEG era plano, de vivir iba a ser un vegetal: ciego, sordo, mudo, tetrapléjico, Hot mostramos, con la autorización de sus padres como está a los 8 meses, con una edad mental de 10 meses, caprichoso y consentido, pero normal. Se trata de A., ver el video….
Al nacer tuvo una hemorragia masiva que le llevó a 20 minutos en parada cardio-respiratoria. Su EEG era plano, querían desconectarlo, pero vino a Foltra con unos días de vida y el que iba  a ser ciego, sordo mudo y tetrapléjico es hoy a los 8 meses un niño totalmente normal, aunque su neuropediatra insiste en que no ve y que ya aparecerán los problemas. Su edad mental es de 10 meses y la motora de 8. ¿Es normal?.

Para ver o video, clique em http://allforall.org/proyectofoltra.net